19 de julho de 2016

Evento blogueiro solidário

Ciclo vicioso


Gente linda, após uma semana sem internet estou aqui de volta para contar um pouco como foi o encontro blogueiro solidário, o encontro teve como tema “ a violência contra a mulher”. Vocês provavelmente vão pensar essa louca não já falou sobre esse tema, porque voltar no assunto. Sim, já comentei sim, mas hoje venho falar com outro olhar, acho que mais amplo e diversificado, pois o encontro contou com a presença de psicólogas, enfermeiras e a Isabela venturosa do coletivo feminista. O evento aconteceu na livraria saraiva mega store do shopping center norte, produzido pela blogueira Bruna Della do cappuccino e bobagens.
Bem o evento foi maravilhoso teve uma abertura incrível uma peça teatral que abordou o assunto, cada gesto, palavra e frases, tocavam profundamente com o que vemos e vivemos diariamente. Após a apresentação fomos brincar, a della nos propôs a montar três títulos de blog para este tema violência contra a mulher, mas nós como mulheres e blogueiras ainda por cima, não podia deixar só no tema, tivemos que montar um pouco do texto, da historia claro, agora imagine mais de blogueiras divididas em 5 grupos para montar e apresentar seu tema, o que saiu com isso, logico que debate, rsrsrs. Bom tivesse que parar o debate e deixar mais para frente, após as psicólogas, enfermeiras falarem com mais precisão do assunto, agora advinha o que ouvimos? Absurdos e descasos e obvio!


Você sabe porque existe a lei maria da penha? A lei recebeu esse nome como forma de homenagear a pessoa símbolo dessa luta, Maria da Penha Fernandes, que sobreviveu a duas tentativas de homicídio por parte do ex-marido, e ficou paraplégica, a punição ao marido agressor só veio quase vinte anos depois. Antes da lei, o crime de violência doméstica era considerado de menor potencial ofensivo e julgado nos juizados especiais criminais junto com causas como briga de vizinho e acidente de trânsito.




A lei também trouxe uma série de medidas para proteger a mulher agredida, que está em situação de agressão ou cuja vida corre riscos. A violência psicológica passa a ser caracterizada também como violência doméstica. Está lei foi criada pois a maria da penha estava a 15 anos lutando pela condenação do seu ex esposo e o brasil sempre a negligenciava, ela com ajuda de ONGS, conseguiu enviar o caso para a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (OEA), que, pela primeira vez, acatou uma denúncia de violência doméstica. E com isso ela conseguiu condenação para o ex marido, de apenas 2 anos, mas conseguiu.


O processo da OEA também condenou o Brasil por negligência e omissão em relação à violência doméstica. Uma das punições foi a recomendações para que fosse criada uma legislação adequada a esse tipo de violência. E assim surgiu a lei 11.340/06, conhecida como Lei Maria da Penha. Olha bem o horror que esta mulher viveu e a determinação. Bom a luta não acaba por aí, a lei existe, mas ainda está longe de ser algo realmente real, de 5.565 cidades brasileiras apenas 397 municípios têm delegacias especializadas de atendimentos a mulher, e o atendimento é feito de segunda a sexta no horário comercial, e por cima não tem um atendimento adequado e qualificado, pois geralmente os atendentes são oficiais que “tipo” estão de castigo, rsrs gostou dessa né. Bom é isso mesmo, essa e bem a real. Gente foi tanta informação que juro até agora não consigo acreditar como nosso país é tão omisso, vejo diariamente absurdos na teve e jornais, mas quando e coisas assim nem aparece. Agora vou explicar porque do meu subtítulo ser ciclo vicioso, o que é a violência contra a mulher ou violência em si, muitos acham que é a partir do momento que tem violência física, mas não, quando omite o teu sentimento, te tranca ou a proíbe de algo, quando é algo psicológico, sentimental ou físico, isso é violência. Nós temos algo bom e ao mesmo tempo ruim, a emoção isso as vezes acaba nos transformando em vítimas, pois nos acusamos e deixamos outras pessoas abusar deste sentimento, convivemos com algo a anos, e muitas vezes não nos damos conta que estamos sendo usadas, violentadas, vivendo em ciclos sem conseguir seguir em frente, achando que não damos conta e não vamos conseguir sem aquela pessoa. Mas saiba que você não está sozinha, estamos aqui, mesmo que seja para dá um abraço ou dá uma informação, mas também existe Ongs e espaços que podem ajudar, mas ajudar mesmo não só para a mulher mas para o homem também, você que acha que maltrata sua mulher ou mulheres no geral, ou simplesmente quer conhecer um pouco mais sobre o assunto, pode ligar no centro de atendimento à mulher no 180, no núcleo especializado na promoção e defesa dos direitos da mulher 11-3101-0155 ramal: 233/238 ou então no coletivo feminista que está localizado na rua Bartolomeu, 44 - pinheiros, telefone 11-3812-8681, eles estão preparados e bem informados, prontos para ajudar ou informar. 



Gente nosso evento foi assim, cheio de informações, debates e brincadeiras logico, contamos com algumas empresas que foram parceiras e nos ajudaram muito, aqui deixo o meu eterno agradecimento a todos.

Fotos: thamiris D’Auria, atriz,
Peça teatral: Bianca Santini, Bruna ribeiro, Amanda Andrade e Thais zuchetti,
Espaço clareira com as psicólogas; Bruna sterza, Ana Carolina zacari, Eliza cavalheiro e a enfermeira juliana rhuanita,
Coletivo feminista sexualidade e saúde: Isabela venturosa,
QG doces
Saraiva mega store – shopping center norte
Trattabrasil profissional
Geenk N’freak
Ateliê amor de amora
Studio 81
Camarim florido
Arteiras maristas
Vult cosméticas
Todas as blogueiras e blogueiros presentes,
E para finalizar, para mim a mais importante de todos e que me proporcionou esse evento maravilhoso Bruna Della, atriz e blogueira do cappuccino e bobagens.
Parabéns pelo evento e muito sucesso.
Fico por aqui, bjinhos até a próxima....



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Elenir Oliveira. Tecnologia do Blogger.